Home / Entrevistas /

DANCEPLANET: Uma loja distinta e única para DJs e Produtores Musicais

DANCEPLANET: Uma loja distinta e única para DJs e Produtores Musicais

Share this article

Giveaway Virtual Drummer
     

Nascida no distante ano de 1996, a DANCEPLANET constitui sem dúvida uma das melhores e mais credíveis referências na venda de material para DJ e produção. Mas vai muito mais além disso!

Com produtos e serviços originais centralizados numa loja muito bonita localizada no coração da cidade do Porto (mesmo ao lado do mítico Teatro Sá da Bandeira) este projecto comercializa vários tipos de equipamento áudio e vídeo profissional para entusiastas da área da música eletrónica, quer sejam profissionais ou amadores. É um espaço único que também se dedica ao aluguer e reparação destes equipamentos. E assume-se também como um local essencial na área da formação de DJs e produtores, através da oferta de cursos orientados por profissionais experientes.

Hoje temos o prazer de apresentar uma entrevista com Miguel Soares, Responsável comercial desta loja pioneira neste mercado em Portugal.

Miguel Soares – Responsável Comercial da DANCEPLANET

Atualmente existem muitos tipos de equipamentos para DJs e Produtores, multiplicando-se também as lojas físicas e online que comercializam este tipo de produtos. Em 2019, o tamanho total do mercado de equipamentos de DJ ao nível mundial era de 344 milhões de euros. Contudo, a expectativa de um crescimento significativo com previsões que apontavam para este sector atingir valores na ordem de 500 milhões de euros no final de 2024 foi interrompida devido a uma crise pandémica mundial que ensombrou a cultura em todos os países.

Portugal não foi excepção, conforme confidenciou Miguel Soares, Responsável comercial da DANCEPLANET, que generosamente acedeu a realizar esta entrevista para o Blog Mundo de Músicas.

Há quem diga que 2020 foi um ano para esquecer, mas na verdade foi mais um ano de adaptação e aprendizagem, sobretudo porque a quebra abrupta com o sistema obrigou à reinvenção dos players de todos os mercados culturais.

É verdade que as limitações impostas na sociedade portuguesa no ano passado prejudicou sobremaneira a maior fonte de sustento de quem vive da música, ou seja, os eventos ao vivo foram na sua maioria cancelados, provocando um efeito de queda que arrastou os artistas, técnicos de som e luz, pessoal de produção e logística, promotores, produtores, donos de bares e discotecas para uma paragem forçada.

Mas também é verdade que existe sempre esperança num futuro melhor, até porque os maiores estimuladores deste mercado ainda são a consciência musical das pessoas e o aumento da educação musical nas escolas, assim como o número crescente de concertos e apresentações ao vivo que se registava de ano para ano, numa tendência que infelizmente foi quebrada, mas que certamente regressará ainda com mais pujança do que anteriormente.

Um exemplo disso mesmo é o facto da inovação na produção ter continuado em força, além de existir uma crescente oferta de formação nesta área e maior abertura dos canais de comunicação, que aliás se verificaram em todos os sectores em tempos de Covid-19. Estes são dados que indicam que, apesar das dificuldades, este cenário pode contribuir para a área da música eletrónica seguir na direção do progresso.

Assim, se um dos seus objectivos consiste em dedicar-se à produção de música, então conhecer a DANCEPLANET é um passo obrigatório. Por outro lado, se é um DJ profissional ou amador provavelmente já sabe que neste espaço de vanguarda encontra todo o tipo de material e formação que precisa para incrementar a sua performance.

Seja qual for a sua actividade, esta é uma oportunidade para descobrir a história e missão de uma loja de referência que se assume como muito mais do que apenas um local de comércio, conforme explica Miguel Soares que resume numa frase o espírito peculiar que orienta este projecto: “Acima de tudo somos muito mais do que uma loja, somos um espaço onde se cruzam pessoas se fazem amizades, trocam ideias, experimentam material e apoiamos projetos novos. Isso para nós e para a comunidade local penso que é sempre uma mais-valia.”

Talvez por isso mesmo, ainda que tenha sofrido com todas as barreiras colocadas perante todos os intervenientes na cultura em Portugal, a DANCEPLANET tenha crescido e expandido o reconhecimento perante os artistas deste sector nos últimos anos.

Antes de começar a ler a entrevista, aproveite e siga este projecto distinto através do website e redes sociais:

Website DANCEPLANET

Facebook DANCEPLANET

Intagram DANCEPLANET

Canal YouTube DANCEPLANET

Loja Online DANCEPLANET

Formação DANCEPLANET

Notícias DANCEPLANET

E-mail: [email protected]

Entrevista com Miguel Soares, Responsável comercial da DANCEPLANET

Gonçalo Sousa (GS): Sabemos que a DANCEPLANET é uma loja de referência na venda de equipamentos musicais, vídeo e luz para DJs, compositores e produtores, além de fazer cursos de produção musical. Mas como e quando nasceu a DANCEPLANET?

Miguel Soares (MS): A DANCEPLANET foi fundada em 1996 por António Afonso, a primeira loja foi criada no Centro Comercial do Parque Itália na Boavista, tendo em vista um pequeno nicho de mercado (na altura) direcionado à venda de equipamento e formação de DJs. Foi crescendo devido à evolução tecnológica dos equipamentos cada vez mais acessíveis e também graças ao reconhecimento cada vez maior, na última década, dos DJs como artistas e figuras centrais da cultura musical actual.

(GS): Por que escolheram o nome DANCEPLANET?

(MS): Já é mais antigo o nome do que a minha presença na empresa, mas creio que a ideia seria abranger tudo o que fosse relacionado com o mundo da dança, daí surgir esse nome.

(GS): Qual é o vosso background na música e particularmente na música de dança e DJs?

(MS): Ao longo destes anos temos acompanhado a evolução tecnológica de software e hardware. Já demos suporte a imensos festivais e conferências relacionadas com a área. Temos uma relação muito directa com muitos dos nossos clientes, sendo que muitos deles já têm grandes carreiras e os quais consideramos mais amigos do que clientes.

(GS): Existem outras lojas em Portugal que fazem o mesmo que a DANCEPLANET, já que vocês além de comercializarem produtos, também alugam e reparam equipamentos, sem esquecer a formação?

(MS): Sim, entretanto foram surgindo outras marcas com o mesmo modelo de negócio.

(GS): Qual é o vosso público-alvo?

(MS): O nosso público-alvo maioritariamente são DJs e Produtores musicais.

(GS): Como é que os vossos serviços foram recebidos na comunidade musical em Portugal?

(MS): No início eramos a única empresa no mercado especializada na área de DJ e Produtores, por isso foi muito bem aceite e reconhecida pela mais-valia que trazíamos para uma área que era vista de lado no mundo da música.

(GS): Conseguem explicar qual foi a principal motivação para criarem uma loja com os vários benefícios da DANCEPLANET?

(MS): Como não havia muitas mais alternativas a ideia foi conseguir ter aqueles equipamentos e soluções específicos deste meio.

(GS): Como surgiu a hipótese de desenvolverem cursos de produção musical tão diversificados como Mistura e Masterização, Formação Musical, Ableton Live e Traktor?

(MS): Foi de uma forma natural, já que começamos com os cursos de DJ. Passado alguns anos os DJs que tinham acesso fácil aos computadores e hardwares procuravam-nos para ajudar a aumentar o seu conhecimento e criarem as suas músicas, portanto acabou por evoluir dessa premissa.

(GS): Existem alguns fornecedores com quem têm uma relação mais estreita? Se sim, quais e como surgiu essa relação?

(MS): Sim, temos fornecedores que nos acompanham do início da empresa e marcas que nos revêem como um dos líderes na área de DJ, como a Pioneer, Denon DJ, Rane e Native Instruments. Quando pretendem promover um produto novo ou algum apoio consultam-nos.

(GS): Além de Portugal, o mercado brasileiro e outros países de língua portuguesa acolheram bem a DANCEPLANET?

(MS): Sim, penso que sim, apesar de que em termos de negócio representam uma minoria acabamos sempre por ter clientes nomeadamente de Angola e Brasil.

(GS): Consideram importante a existência de lojas como a vossa totalmente em português? Porquê?

(MS): Sim é fundamental! Acima de tudo somos muito mais do que uma loja, somos um espaço onde se cruzam pessoas, onde se fazem amizades, trocam ideias, experimentam material e apoiamos projetos novos. Isso para nós e para a comunidade local penso que é sempre uma mais-valia.

(GS): Para uma loja online, as redes sociais e o e-mail marketing são serviços importantes. Vocês utilizam estes meios? E obtêm bons resultados com eles?

(MS): Sim, sem dúvida. A primeira rede social que começamos a trabalhar foi o Hi5! Depois surgiu o MySpace e agora estamos no Instagram, Facebook e YouTube. São uma forma de chegar ao nosso público e mostrar o nosso trabalho.

(GS): Habitualmente fazem concursos ou GiveAways para a vossa audiência?

(MS): Fazemos isso muito frequentemente, quase uma vez por mês, basta seguir o nosso Instagram para descobrir e terem oportunidade de ganhar.

(GS): Até hoje, quais são os vossos produtos/serviços mais vendidos?

(MS): Na formação é o Curso de DJ e Produção. Nos produtos são os controladores de DJ entrada de gama e os pequenos teclados mais económicos.

(GS): Como avaliam o panorama actual do hardware musical em Portugal?

(MS): Com bons olhos, nunca a tecnologia foi tão acessível, temos muita variedade e com excelentes preços. Sintetizadores e interfaces com qualidade cada vez maior.

(GS): O que acham da evolução das tecnologias musicais, como plugins VST, DAWs, software em geral, no Mundo actual?

(MS): Penso que se aplica a mesma resposta da pergunta anterior (com a excepção que estes são, infelizmente, muitas vezes pirateados).

(GS): Qual a vossa opinião sobre a qualidade do hardware e software musical disponível hoje para cada músico e produtor? Encontram muitas diferenças em relação ao período em que começaram neste mercado?

(MS): Sim, sem dúvida. Como já referi em algumas perguntas anteriores é muito mais fácil e barato ter as coisas. Actualmente pode comprar-se um controlador de DJ ou um teclado MIDI numa grande superfície, chegar a casa e abrir o YouTube, ver ou 1 ou 2 tutoriais, ”sacar” um software e começar a fazer música. Há 20 anos atrás ia ser muito mais difícil fazer isto acontecer… 🙂

(GS): Consideram que este tipo de ferramentas contribui positivamente para se fazer música melhor? Ou apenas mais música?

(MS): Faz-se muito mais música, sem dúvida. Muita má, mas também muita boa. Infelizmente às vezes sinto que mais depressa divulgam a má do que a boa… É preciso é saber encontrar, e claro que aquilo que é bom para muitos não é para outros.

(GS): Existe algum objectivo que vocês ainda não conseguiram alcançar e que estava nos vossos planos desde o início? Se sim, qual?

(MS): Sim, acreditamos que podemos sempre melhorar e criar mais serviços. Ainda temos muita coisa para fazer.

(GS): Qual a vossa opinião sobre eventos da indústria musical, como NAMM e MIDEM? São importantes para o desenvolvimento da economia da indústria da música no mundo?

(MS): Acreditamos nisso, valorizamos a união e troca de ideias sempre. São importantes.

(GS): A DANCEPLANET costuma apresentar os seus produtos e serviços em eventos deste tipo? Em caso afirmativo, quais e onde vocês encontraram o feedback mais positivo?

(MS): Já colaboramos em alguns eventos da área da música electrónica. Mais recentemente foi o Lisboa Dance Festival com as palestras de Moullinex e DJ Ride.

(GS): Querem deixar uma mensagem particular para músicos, produtores e / ou público em geral?

(MS): Continuem a fazer aquilo que mais gostam! Consideramos que nesta altura mais difícil é muito importante que todos continuem a lutar para superarmos esta fase negativa na cultura em Portugal.

(GS): E para terminar, como a DANCEPLANET imagina crescer no futuro? Como e para onde querem evoluir?(MS): Atualmente o nosso espaço físico já é pequeno para aquilo que precisamos, talvez num futuro seja possível termos umas instalações maiores e com mais estúdios disponíveis para os nossos clientes e alunos!

POSTS RELACIONADOS

     

Share this article

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *