Home / Archives /

Notas à Solta

Notas à Solta / 12 posts encontrados

Alanis Morissette, zangada e lúcida ao mesmo tempo?

“Do I stress you out”, canta Alanis em “All I really want”, no primeiro verso do seu álbum de 1995 todo platinado, um tal de Jagged Little Pill. O seu sentimento não é de raiva, ao contrário das inúmeras reviews que empurraram aquelas 12 ricas e complexas músicas para o reino do “ai que rainhas do drama”. Reino fabuloso e mentiroso, esse. Ao contrário, Alanis provoca com discrição, com um travozito de ‘sacanice’, leve o suficiente que quase parece tímido e um bocadinho… ironic.

SHUFFLE II: Limp Bizkit

O Manuel Tinoco de Faria relembra o álbum Significant Other dos Limp Bizkit, um disco que faturou milhões, que meteu toda a gente a acordar com a Break Stuff e a imitar todo o palavreado (erudito, diga-se) que Fred Durst vertia nas letras. Confira agora!

SHUFFLE I: Dave Matthews Band

A série Shuffle revolve álbuns antigos e bons. Ou não tão bons porque nem tudo o que é antigo é obrigatoriamente giro. Significant Other, dos Limp Bizkit, que fez 20 anos este Verão, pode ter influenciado uma geração mas não era lá grande coisa. Hoje começo com um senhor que volta e meia entra na moda mas nunca por lá ficou. Chama-se Dave. Não é Grohl. Não é Weckl. Não é Navarro. É o Matthews pá.

Here comes Bassel!

Por vezes o Spotify acerta. Assim tinha sido com ‘Portuguese Boys, de José Cid (um hino à Rua da Oura), repetiu-se com Triceratops, uma banda japonesa à qual gosto de chamar, de vez em quando, heroína. Ouçam Bassel & The Supernaturals. Não porque seja diferente de Fernando Daniel. Porque é igual a quase tudo o que soa a partir de Chicago: bom. Muito, mas muito bom.

Semanário da K-Pop: Beast, One, Cenas e pozinhos de J-Pop celebratório

Decerto estarão familiarizados com uma cena chamada K-Pop. Vem da Coreia, daquela Coreia cool, da Subaru, Samsung, e-sports e coiso. Agarrem nos headphones e orem ao Pai: parece que se vai ouvir um bocadinho de K-Pop pelo Mundo de Músicas…

Tens o Skill. Mas já ouviste Skills And The Bunny Crew?

Parece que foi ontem que estes quatro nababos que ‘curtem o róque’ se juntaram para umas patifarias musicais ao estilo Rage meets Cypress Hill meets Buckley greets Red Hot. Na verdade, o ontem já conta um decénio, meus caros. Quem são os Skills And The Bunny Crew e porque é que ainda não encheram Coliseus ou tocaram em festivais de ponta lá fora?

Reggae! Por onde começar: o Melting Pot dos Dub Inc.

O reggae mudou muito ao longo dos últimos anos. Não quer dizer que tenha piorado. Apenas evoluiu, na forma, no conteúdo. Vamos recomendar um álbum para quem costuma dizer “não curto reggae”. Acredite, são vários que não fazem ideia do que perdem. Conheça hoje os Dub Inc., pois Jah está na hora!

Sucessos dos Anos 90: Onde é que Eles Andam?

Foram one hit wonders. Que é o mesmo que dizer “espero que corra tudo bem contigo” antes de fazer figas. Nomes outrora gigantes que hoje poucos se recordarão. Não se preocupem, há boas razões para isso. Saiba neste post o que é feito de Kriss Kross, 4 Non Blondes, Los Del Rio, Chumbawamba, Lou Bega ou Natalie Imbruglia.

Prometeu, Cumpriu. Passados 30 anos. Rick Astley!

Quem diria. Rick Astley, o tipo de gabardine que nos cantou Never Gonna Give You Up nos anos 80... está para as curvas depois de um sono (sem gabardines) de mais de três décadas. Confira agora a review do novo disco de Rick Astley.