Home / Indústria Musical /

Retrospectiva musical: 2017 foi um ano próspero para a boa música popular brasileira

Retrospectiva musical: 2017 foi um ano próspero para a boa música popular brasileira

Mídia Kit Blog Mundo de Músicas
 

 

No final de todos os anos, temos o costume passar a limpo o que se passou ao longo do ano. Neste ano, a MPB mostrou que está viva e com todo vigor, seja através de CD, DVD, streaming, vinil e turnês, ela desempenha o importante papel de ajudar aos brasileiros e ouvintes de música em geral a reconquistarem o prazer de viver mesmo diante de tantas dificuldades que viemos enfrentando ao longo dos últimos anos.

Neste ano de 2017, embora tenhamos perdido cantores e compositores amados por todos nós, tais como Jerry Adriani (falecido em 23/04/17 – aos 70 anos), Belchior (falecido em 30/04/17 – aos 70 anos), Almir Guineto (falecido em 05/05/17 – aos 70 anos) e Luiz Melodia (falecido em 04/08/17 – aos 66 anos), a velha guarda da MPB, aquela que não gravava há anos parece que retornou para responder ao tempo e à natureza que apesar deles consumirem a todos nós como fizeram com estes ídolos, a música é de natureza transcendente e por isso não acaba quando o nosso tempo acaba. Novos artistas também tiveram parte nesta resposta!

Neste texto, traremos alguns trabalhos feitos na música brasileira que provam que 2017 foi um ano próspero para os amantes da boa MPB! São trabalhos que mostram que a MPB vive!

Confira a nossa Retrospectiva musical MPB de 2017

 

CARAVANAS – CHICO BUARQUE

 

No dia 25 de agosto, pelo selo Biscoito Fino, Chico Buarque lança seu 38º álbum de estúdio – Caravanas. Um mês antes, Chico lançou o single “Tua Cantiga” acompanhado de um vídeo muito visualizado. Deixando as polêmicas criadas pelo politicamente correto de lado, a música é uma bela parceria do compositor com Cristóvão Bastos.

Os versos iniciais já são suficientemente encantadores para conquistar o ouvinte: “Quando te der saudade de mim, quando tua garganta apertar, basta dar um suspiro que eu vou ligeiro te consolar…”. O trabalho conta com novas parcerias e algumas releituras. Dentre as novas canções estão “Blues pra Bia”, “Massarandupió” (em dueto e parceria com seu neto Chico Brown) e “As Caravanas” – que dá nome ao álbum. Há também uma releitura bonita e delicada da música “Dueto”, onde desta vez ele divide o microfone com Clara Buarque e mostra que está antenado nas novidades das mídias sociais e novas formas de se comunicar e relacionar.

Agora o álbum também está saíndo em formato de disco de vinil, que é um formato que está voltando com tudo. Talvez tenha sido o trabalho mais comentado da MPB em 2017.

“Tua cantiga”

 

TRIBALISTAS – TRIBALISTAS (MARISA MONTE, ARNALDO ANTUNES E CARLINHOS BROWN)

Quinze anos após o sucesso do primeiro álbum (de 2002) que revelava uma frutífera parceria entre os baianos Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown, o segundo álbum “Tribalistas” é lançado pelo trio no dia 25 de Agosto, quinze dias após realizarem de surpresa uma transmissão ao vivo pelo facebook dos três para apresentarem quatro faixas do novo álbum. A estas se juntaram mais seis para compôr o trabalho.

O álbum gerou um verdadeiro colapso nas redes sociais, se tornando a notícia do momento e uma alegria inenarrável aos fãs do trio após tantos anos de espera! Há também o DVD dos Tribalistas, além de um especial transmitido pela Rede Globo. O disco foi sucesso não apenas no Brasil, mas também em toda a Europa e América Latina.

O destaque vai para “Diáspora”, uma canção que faz um canto das diásporas causadas pelas segregações e guerras em várias épocas (uma música atualíssima em tempos de crise de refugiados); “Um só” e “Os Peixinhos” (com participação especial de Carminho) são as maiores pérolas do álbum que também conta com “Fora da memória”, “Ânima” e “Baião do Mundo”.

Obs.: o álbum foi lançado no mesmo dia que a música “Caravanas” de Chico Buarque. Com certeza, um dos dias mais ricos para a música brasileira em 2017!

“Diáspora”

 

 

A GENTE MORA NO AGORA – PAULO MIKLOS

Após sua saída da banda Titãs, o cantor e compositor Paulo Miklos lança seu 3º álbum de estúdio – A Gente Mora no Agora – em 11 de Agosto de 2017.

Através deste trabalho, o artista conseguiu apresentar bem suas raízes, suas ideias e seus sentimentos ao mesmo tempo em que não é mostra que não é um cara do passado, mas um cara do agora!

O single que antecedeu o álbum chamado “Vou te encontrar” de autoria do amigo Nando Reis, mostra um homem que ama e sofre, sorri e chora, que lembra do passado mas se coloca de braços abertos diante do futuro! “Olha, ainda estou aqui/ Perto, nunca te esqueci/ Forte, com a cabeça no lugar/ Livre, livre para amar/ Sofro, como qualquer um/ Rio, quando estou feliz/ Homem, dessa mulher/ Vivo, como você quer (…)”. O arranjo da canção é emocionante. A orquestra de cordas que acompanha o violão e a voz de Miklos toca diretamente no coração!

O cantor mostrou que na sua bagagem musical há apenas influência do rock, mas também influências do tropicalismo e do samba. Todo o álbum é gostoso de ouvir! São ótimas parcerias com Céu, Erasmo Carlos, Mallu Magalhães, Emicida, Arnaldo Antunes e Guilherme Arantes. É o tipo de álbum que deve ser ouvido do início ao fim! Só assim para conseguir compreender a dimensão da sua mensagem positiva, boa por demais!

“Vou-te encontrar”

 

 

VEM – MALLU MAGALHÃES

Há seis anos ficamos esperando por um lançamento autoral da querida Mallu Magalhães! Este momento finalmente chegou com “Vem“, lançado em 9 de Junho pela Sony Music. Neste álbum ela mostra suas influências de jazz, samba, bossa e rock em seu jeito único de interpretar a si mesma. A faixa “Casa Pronta”, lançada como single ainda em 2016, mostra uma Mallu cada vez mais dona de sua arte. Ao todo são 12 composições assinadas exclusivamente pela jovem compositora. No álbum destaca-se também “Você não presta”, “Navegador” e “Vai e Vem”. Um dos melhores álbuns da MPB dos últimos tempos!

“Casa pronta”

 

DE TODA COR – LUCIANO RENATO

Mais uma vez o mês de agosto trouxe para nós amantes da MPB um trabalho que esperávemos! A sonoridade envolvente, a simplicidade das letras do compositor Renato Luciano e a delicadeza com a qual ele coloca a sua voz formam o álbum “De toda cor“. Este disco é um álbum que pode ser considerado autenticamente MPBista.

A música “De toda cor” de Renato Luciano trouxe participação especial do cantor Ney Matogrosso, Oswaldo Montenegro, Emílio Dantas, Elisa Lucinda, Laila Garin, entre outros, em versos sobre a liberdade de viver: “Passarinho de toda cor, gente de toda cor, amarelo, rosa e azul, me aceita como eu sou…”. É dessa liberdade que precisamos em momentos de tanta intolerância e atroz desrespeito à multiplicidade da vida e à riqueza do ser humano.

Obs.: a música ganhou o país através da trilha sonora da novela global “A Força do Querer”, que trazia o drama de um transgênero no momento de assumir sua transição.

“De toda cor”

 

 

ESTRATOSFÉRICA AO VIVO – GAL COSTA

Há poucas semanas a Biscoito Fino lançou “Gal Estratosférica ao vivo“, um registro de um show que não é apenas a reprodução do brilhante álbum “Estratosférica” que Gal Costa lançou em 2015, mas uma obra de arte onde Gal mostra que a idade lhe deu mais rock and roll, fazendo valer o título de estratosférica! Do álbum de 2015 há sucessos como “Ecstasy”, “Casca”, “Sem medo nem esperança”, “Quando você olha pra ela”, “Jabitacá” e é claro “Estratosférica”. Mas há também releituras de sucessos como “Como 2 e 2” e “Não Identificado” de Caetano Veloso, “Pérola Negra” de Luiz Melodia (uma homenagem), “Arara” de Lulu Santos, “Os alquimistas estão chegando” de Jorge Ben Jor e a canção biográfica “Meu nome é Gal” de Roberto Carlos e Erasmo Carlos.

“Cartão-Postal”

 

BOLEROS – ALCIONE

Lançado no dia 30 de junho de 2017, mais uma feliz produção da Biscoito Fino, Alcione deslumbra seus fãs com o registro ao vivo de “Boleros“. O álbum vem à luz em um feliz momento, pois a cada ano que passa a música brasileira parece se distanciar mais dos ritmos latinos, das quais seus ritmos fazem parte.

Com “Boleros“, há uma viagem aos tempos áureos dos salões dançantes e das canções apaixonantes que consagraram os artistas latinos na música internacional.

A cantora não fica no óbvio, arrisca em transformar músicas que já são sucesso da MPB em boleros, como é o caso da canção de Silvio César “Pra você”. “Apelo” de Baden Powell ganha uma versão aboleirada assim como o samba-canção de Ary Barroso “Risque”. Há clássicos como “Bésame” e “Gracias a la vida” assim como regravações em forma de tributo a Altemar Dutra em “Que queres tu de mim” e Cauby Peixoto em “A Pérola e o Rubi”. Destacamos aqui o dueto da marrom com Alexandre Pires no bolero “Paixão de Dartagnan”! Muito bom!

“Paixão de Dartagnan”

 

AMELINHA DE PRIMEIRA GRANDEZA – AMELINHA

A saudade do cantor Belchior, falecido no início do ano 2017, fez com que a cantora Amelinha voltasse aos estúdios com o álbum “Amelinha de primeira grandeza – as canções de belchior“. Tributo mais honesto e verdadeiro ao compositor nordestino não há! Amelinha era amiga de Belchior! Suas releituras de “Alucinação”, “Paralelas”, “incêndio”, “De primeira grandeza” e “Mucuripe” são encantadoras! É outro disco de MPB digno de ser escutado por completo!

“Alucinação”

 

DNA MUSICAL – ALEXANDRE PIRES

Lançado no início do ano (27 de Março), DNA Musical é o 11º álbum solo de Alexandre Pires. Com CD e DVD lançados pela Som Livre, o trabalho diz respeito à influência musical que o cantor herdou de sua família. O cantor vai para além do samba e do pagode que o consagraram desde os tempos do grupo Só Pra Contrariar e dá voz aos clássicos da MPB

Com participação especial de Milton Nascimento, encanta com “Travessia”; com Caetano Veloso “Meu Bem, Meu Mal”; com Djavan “Pétala” e com Gilberto Gil “Deixar Você”. Há influência do samba de Benito de Paula presente no registro da canção “Ah! Como Eu Amei”; influência da pré-bossa-nova de Dolores Duran (em sua famosa parceria com o jovem Tom Jobim) em “Por causa de você” e uma homenagem a Emílio Santiago (que tem suas imagens reproduzidas nas paredes do estúdio em que o DVD é gravado) na canção “Saigon”. Cartola, Agepê, Chico Buarque, Luiz Melodia são lembranças das emoções de seus familiares, que aparecem em várias cenas. São tantos sucessos que se torna difícil escolher entre um.

“Pétala”

 

CANTO DO LEO – LEO RUSSO

No mês de outubro, o cantor Leo Russo lançou seu novo trabalho – Canto do Leo. É um álbum de samba no qual o jovem compositor defende que o bom e velho samba-canção continua vivo! Além de trazer novamente as canções “Olhos teus” e “Leva o jornal” (em parceria com Gisa Nogueira), provenientes de seu EP de dois anos atrás, ele dá voz a uma parceria inédita do veterano Evaldo Gouvêia e do parceiro Paulo César Pinheiro em “Pôster”.

Há regravações de sambas-canção já consagrados como “Somos Iguais” (de Evaldo Gouvêia e Jair Amorim), gravado originalmente por Altemar Dutra e “Meu Vício é Você” (de Adelino Moreira), inesquecível canção do repertório do Nelson Gonçalves. Há composições próprias em “Olhos de mar” e “Sim ou não”, além de uma linda interpretação de “Dois bombons e uma rosa” de Aldir Blanc que vale a pena ser ouvida várias vezes!

“Meu vício é você”

 

AYRTON MONTARROYOS – AYRTON MONTARROYOS

A participação do jovem intérprete e finalista no programa The Voice Brasil de 2015 deixou os amantes da Música Brasileira à espera de novas produções.

Apesar de não ter ganhado a competição, Ayrton Montarroyos conquistou um público fiel e uma legião de fãs. O cantor pernambucano dá voz aos clássicos “Que sejas bem feliz” de Cartola e a inusitada faixa “Alto Lá” de Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Sombrinha, esta última totalmente repaginada em uma interpretação única, sutil e delicada. Uma obra de arte! O disco foi produzido por Thiago Marques Luiz, um grande amigo dos amantes da boa e eterna MPB.

Disco Completo

 

ANGELA MARIA E AS CANÇÕES DE ROBERTO & ERASMO – ANGELA MARIA

No dia 12 de Maio, a última cantora viva dos tempos de ouro da rádio brasileira lançou “Angela Maria e as Canções de Roberto & Erasmo“. Aos 87 anos, Angela Maria com sua voz duma afinação invejável coloca sua lágrima e sua interpretação nas canções assinadas por Roberto Carlos e Erasmo Carlos.

São dez faixas no total, todos sucessos. O arranjo de “Sua Estupidez” ficou inusitado para a cantora pois ganhou uma levada diferente da tristeza da melodia original lançada por Roberto em 1969. Angela colocou uma beleza especial também em “Desabafo”, música que ela já gravou (com participação do próprio Roberto), só que agora em uma interpretação voz e violão, bem intimista. “Sentado à Beira do Caminho” contou com a participação de Erasmo Carlos, um dos homenageados. A faixa final do disco “Como É Grande o Meu Amor Por Você” traz um registro do seu amigo falecido um ano atrás. Cauby Peixoto havia gravado vários takes para a composição do álbum “Reencontro” (em parceria com Angela) de 2012. Uma interpretação inédita foi colocada para fechar o disco com uma bela homenagem a um dos mais belos intérpretes e parceiros de Angela.

“Como É Grande o Meu Amor Por Você”

 

E aí, que tal iniciar o ano visitando ou revisitando esta coleção de música de primeira qualidade?

Um Bom Ano Novo 2018 para todos os amigos e leitores do Blog Mundo de Músicas!

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
AdobeStock
 

Partilhar este artigo

Comentários

  • 29 January, 2018

    O meu favorito é de longe o do Chico, músicas incríveis <3

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *