Home / Archives /

Lendas da Música

Lendas da Música / 73 posts encontrados

Prince: um dos maiores génios criativos do Século XX

Prince é um dos maiores génios criativos do Século XX, pela sua capacidade de reinvenção de géneros, fusão de estilos e, sobretudo, pela sua musicalidade inata. É verdade que mudou o nome para um símbolo impronunciável (cuja imagem se encontra abaixo), mas acabou por voltar ao original.

Bruce Springsteen ainda mantém o estatuto de ser The Boss

Nenhuma lista das maiores vozes da história da música está completa sem Bruce Springsteen. Até à data, The Boss já gravou um total de 18 álbuns de estúdio e recebeu 20 Grammys, 4 American Music Awards, 2 Globos de Ouro e 1 Óscar (com a canção Streets of Philadelphia). Aliás, o nome de Bruce Springsteen não só está gravado no Rock and Roll Hall of Fame, como também no Songwriters Hall of Fame.

Pete Seeger: quase 95 anos dedicados à música de intervenção

Em Portugal, a música de intervenção está impreterivelmente ligada a abril e ao período que antecedeu a revolução. Mas o fenómeno não é exclusivamente português, muito pelo contrário. Neste artigo, falamos-lhe de Pete Seeger, um dos pioneiros da música de protesto que, através do folk, deu voz a causas políticas e sociais. Afinal, quem não se lembra de Turn, Turn Turn?

Robert Plant na escadaria para a imortalidade

Robert Plant é uma das maiores influências de outros grandes nomes da música, como Freddie Mercury, David Lee Roth, Axl Rose, Chris Cornell ou Jeff Buckley. A voz poderosa por detrás de temas clássicos como Stairway to Heaven, Good Times, Bad Times e Whole Lotta Love começou o seu percurso musical muito jovem, quando tinha apenas 16 anos de idade.

Mick Jagger: a estrela de Rock que se recusa a parar

Todos sabem que Mick Jagger é o vocalista dos The Rolling Stones. No entanto, será que sabia que antes de dar o seu enorme contributo à história da música, o mais famoso frontman da história do rock estudou na Escola de Economia de Londres? Conheça mais da história do famoso vocalista dos The Rolling Stones!

David Bowie e os alter-egos do Camaleão

Não é por acaso que David Bowie é conhecido pelo cognome de Camaleão. Mais do que um mero cantor, Bowie provou que a teatralidade na música é um meio poderoso para contar histórias, criar relações, cantar canções e transmitir emoções. A maioria dos seus grandes êxitos possui uma persona específica por detrás da voz, um alter-ego que se reproduz tanto na música como em diferentes personagens.

Rage Against The Machine: 35 pancadas em cheio na cabeça

No outro dia fui contra um poste. Era de noite, estava a despedir-me do meu grande amigo José Manuel Simões e decidi continuar a falar enquanto olhava para trás e caminhava na direcção oposta, e fui contra um poste no meio da calçada. Bati em cheio com a metade direita da cara. Doeu como o caraças, todavia sorri e continuei a caminhar. Mas foi o suficiente para me recordar como sou estúpido e distraído. E nessa altura lembrei-me dos Rage Against The Machine!

Mike Patton: o Senhor das Mil Vozes

Se alguma vez assistiu ao filme Eu Sou A Lenda com o actor Will Smith sabe que os monstros eram no mínimo assustadores. O que talvez não saiba é que todos os sons emitidos pelos zombies que perseguiam o último homem à face da Terra são da autoria de… Mike Patton. Essa foi apenas mais uma demonstração da versatilidade do Senhor das Mil Vozes.

Quem Canta Seus Males Espanta

Não se sabe ao certo como o título deste post encurtou para se tornar no ditado popular que todos conhecemos, mas acredita-se que tenha sido por causa de Dom Quixote, o personagem de Miguel de Cervantes, que dizia: “quien canta sus males espanta”. Vem isto a propósito do E-Book 25 Vozes Que Mudaram A História da Música que pode aceder gratuitamente aqui no blog.