Home / Entrevistas /

Supernós: conheça o single da nova promessa da música brasileira

supernós

Supernós: conheça o single da nova promessa da música brasileira

 

Fundada em outubro de 2016, no interior de São Paulo, mais especificamente na cidade de Itapeva, a banda Supernós já é considerada uma das novas promessas da música brasileira. Apesar do pouco tempo de estrada, o grupo empolga com o seu poderoso single de estreia, intitulado “Syntonize”. A faixa – que contou com mixagem e masterização de João Antunes, do Wry – estará no primeiro EP do quinteto, com previsão de lançamento para abril.

Em entrevista com o nosso colaborador Renan Pereyra, a banda Supernós falou sobre o registro e expectativa para o lançamento do primeiro EP.

Formada por experientes músicos da cena local, a Supernós é uma banda que já nasceu pronta: Sarah Arcanjo, a vocalista de timbre angelical, também toca violão clássico e é violonista no Duo Memoriae. Josué Hare, o baterista, integra também a Pet Food Blues. Já Rodolfo Braga (guitarra), Lucas Silva (guitarra) e Thalles Macedo (baixo) são membros do renomado grupo indie/pop Pink Big Balls.

As letras são cantadas no bom e velho português e entre as influências estão nomes nacionais e internacionais, como Clube da Esquina, Gilberto Gil, Titãs, Arnaldo Antunes, Radiohead, The Strokes, Arctic Monkeys, David Bowie e Paul McCartney. Abaixo, trocamos uma ideia com Rodolfo Braga sobre a música “Syntonize” e sobre o futuro da novata Supernós. Confira e não deixe de ouvir o single!

Renan Pereyra (RP): A Supernós acaba de lançar o single de estreia, “Syntonize”, com uma letra bem curiosa. Como surgiu a inspiração dessa música? 

Rodolfo Braga (RB): Após ler o livro Data Limite, fiquei com a mensagem dele na cabeça. Entre várias coisas, fala muito sobre sintonizarmos e somarmos as coisas boas que estão acontecendo ao redor do mundo. Muitas coisas ruins estão acontecendo e ganhando cada vez mais destaque do público e da mídia; mas, ao mesmo tempo, nunca houve tanto amor no mundo – e a música fala disso. Cabe a mim e a você escolher ao que sintonizar, pra que lado emanar suas vibrações. Lembrar que podemos escolher o caminho do amor e somar a ele, fazendo-o maior sempre.

RP: E quem escreve as letras? Qual é a mensagem que querem passar?

RB: Todos os integrantes compõem. Cada uma de nossas composições carrega sua própria mensagem, porém todas estão interligadas através de temas que estão sob nossos olhares diariamente, como o respeito aos ideais do próximo, o amor na sua forma mais pura e a busca por um senso crítico que ajude a melhorar o meio em que vivemos.

RP: Todas as faixas da Supernós são cantadas em português. Há algum motivo especial pra isso?

 

RB: Apesar de sermos fortemente influenciados por vários artistas internacionais, principalmente no que diz respeito à parte instrumental, desde sempre tivemos contato com grandes letristas da música brasileira, o que de certa forma nos levou a tomar gosto pelo ato de compor canções em português.

RP: Atualmente vocês estão trabalhando no primeiro EP. O registro já tem nome? O que podem nos adiantar sobre o disco?

RB: Ainda não pensamos em um nome, apesar de sabermos seu conteúdo e contexto, basicamente. O EP deve sair com seis músicas, todas produzidas pela banda. Na parte técnica do disco, contamos com a participação do Gerson Santos, técnico de som do Gersom Studio, onde estamos gravando, e também do João Antunes (Wry), responsável pela mixagem, masterização e bruxaria do disco.

RP: E como tem sido o processo de gravação? E sobre as composições, vocês costumam trabalhar de forma coletiva ou individual?

RB: Está acontecendo com fluidez impressionante. Logo que surge uma ideia, se não tem letra, logo ela aparece. No ensaio montamos as partes e em pouco tempo a arte está feita!Procuramos manter essa fórmula para que a música surja da forma mais natural possível, sendo lapidada em um segundo momento.

RP: Pra finalizar, uma curiosidade particular. Qual o conceito por trás do nome Supernós?

RB: Supernós é a junção de “superno” (que significa superior, soberano)  e o pronome “nós”, que faz trocadilho com nó, remetendo a laços. O nome transmite a superioridade dos indivíduos quando se juntam num ideal maior formando um coletivo (pronome nós), entrelaçando seus ideais como em um nó.

Obrigado!

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *