Home / Blues /

Robert Plant na escadaria para a imortalidade

Robert Plant na escadaria para a imortalidade

 

Robert Plant é uma das maiores influências de outros grandes nomes da música, como Freddie Mercury, David Lee Roth, Axl Rose, Chris Cornell ou Jeff Buckley.  A voz poderosa por detrás de temas clássicos como Stairway to Heaven, Good Times, Bad Times e Whole Lotta Love nasceu em Staffordshire (Inglaterra) e começou o seu percurso musical muito jovem, quando tinha apenas 16 anos de idade. Inspirado por Elvis Presley, Robert Plant decidiu deixar a escola para prosseguir uma carreira como músico.

Em 1968, o artista foi descoberto por Jimmy Page. Na altura, o guitarrista e compositor estava à procura de um vocalista para um nova banda que se iria chamar New Yardbirds. Contudo, pouco tempo depois, o grupo mudou o nome para Led Zeppelin e começou a história de uma das bandas que revolucionaram o mundo da música.

1969 foi o ano do primeiro álbum. Apesar de não ser um sucesso entre a crítica, Led Zeppelin I foi capaz de chamar a atenção do público, que parecia especialmente interessado na guitarra de Jimmy Page e na voz peculiar de Robert Plant, cujos agudos estridentes ressoavam com estrondo nas mentes dos ouvintes. No mesmo ano, saiu Led Zeppelin II, que incluía os temas Whole Lotta Love e Ramble On.

Disco após disco, digressão atrás de digressão, a banda foi conquistando novos fãs com temas como Imigrant Song e Stairway to Heaven, além de muitos outras canções que ainda hoje são veneradas por qualquer amante da música rock.

Gostava de assistir a um concerto de Robert Plant? Clique no LINK para comprar bilhetes para o concerto em Portugal!

POPmarket.com Led Zeppelin Reissues

Robert Plant: os hiatos dos Led Zeppelin e a inevitável carreira a solo

Nada parecia parar os Led Zeppelin quando, em 1977, uma tragédia ocorreu. O filho de Robert Plant, com apenas 6 anos de idade, faleceu devido a uma infeção viral no estômago. Como resultado, a digressão desse ano foi cancelada e a banda entrou num hiato temporário.

O regresso deu-se um ano e meio depois, altura em que começaram as gravações de In Through the Out Door. Contudo, uma nova tragédia abateu-se sobre o grupo em 1980. O imparável John Bonham, baterista dos Led Zeppelin, faleceu subitamente, provocando a dissolução do grupo.

Em 1982, Robert Plant decidiu começar a carreira a solo. Desde então, já gravou 15 álbuns e fez várias tournées à volta do mundo. Por vezes é acompanhado pelo amigo Jimmy Page, recriando com novas roupagens clássicos dos Led Zeppelin, cujos pedidos insistentes de reunião raramente deram frutos.

Em 1985, os três membros ainda vivos da banda juntaram-se para um concerto de beneficiência do Live Aid. Em 2007, reuniram-se novamente, desta vez para angariar dinheiro para o Ahmet Ertegun Education Fund. Mas desde então os Led Zeppelin não voltaram a actuar.

Além de ser uma banda constituída por músicos brilhantes, o grupo inglês ultrapassou barreiras estilísticas, fundindo rock com blues numa versão mais agressiva do que o habitual, criando assim um novo género musical (o heavy metal) numa combinação explosiva que produziu alguns dos melhores discos de sempre da música.

O êxito e o reconhecimento dos Led Zeppelin foi tal que ainda hoje Robert Plant é considerado o melhor vocalista de metal de sempre. O mais notável é que o cantor nunca se resignou ao seu estatuto de culto, permanecendo activo musicalmente de forma profícua enquanto artista a solo nos tempos actuais.

 

DISCOS RECOMENDADOS DE ROBERT PLANT:

Led Zeppelin

Led Zeppelin IV

Physical Graffiti

No Quarter: Jimmy Page and Robert Plant Unledded


   

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *