Home / Música /

10 álbuns para dar como prendas de Natal e celebrar 2015

10 álbuns para dar como prendas de Natal e celebrar 2015

 

Mal chegamos a dezembro começamos a sentir o espírito de Natal. Da arrecadação trazemos a árvore de natal e as caixas de papelão com os enfeites. Montamos o presépio, ligamos as luzes e começamos a receber convites para jantares de natal. Fora a ceia com a família na véspera de Natal, esta quadra especial é festejada com amigos e até mesmo colegas de trabalho.

Uma das tradições que ainda se mantém vida, especialmente devido aos estímulos do comércio, é a troca de presentes. Se está à procura de uma prenda para dar a um amigo, pais, filhos ou até mesmo a um sobrinho ou afilhado, porque não oferecer-lhe um álbum de música?

Neste post, fizemos uma seleção de 10 álbuns de música, incluindo alguns daqueles que foram os maiores êxitos do ano, para que possa garantir a sua compra o mais rápido possível e garantir que a recebe comodamente em casa ainda antes do dia de Natal.

10 álbuns para dar como prendas de Natal e celebrar 2015

Adele 25

Adele regressou em 2015, após o breve período em que se manteve em silêncio para se dedicar ao filho nascido em 2012. Neste novo álbum, que inclui o single “Hello” – responsável por quebrar já alguns recordes de vendas e visualizações no YouTube – a artista britânica brinda os seus fãs com novas músicas e inicia um novo capítulo da sua carreira. Entre as faixas do álbum encontramos músicas a solo mas também colaborações com Tobias Jesso Jr, Max Martin, Danger Mouse e Ryan Tedder dos One Republic. O presente ideal para dar este Natal!

 

 

A Head Full of Dreams Coldplay

A Head Full Of Dreams, dos Coldplay, chegou no final de 2015 e sucede-se a Ghost Stories, lançado no ano anterior. O álbum, gravado em Malibu, LA e Londres, foi produzido pelo duo Norueguês Stargate em conjunto com o colaborador da banda Rik Simpson. Entre as 11 faixas inéditas encontramos mais convidados do que qualquer outro disco dos Coldplay. Nomes como Beyoncé, Noel Gallagher, Tove Lo e Merry Clayton aparecem na track list. No total, são 11 temas novos (12 se contarmos com a faixa escondida X Marks The Spot) que prometem animar o Natal de qualquer fã dos Coldplay.

 

Moura

Moura, o novo álbum de Ana Moura, traz aos fãs da fadista portuguesa 15 novas faixas inéditas. Este álbum foi gravado por Ângelo Freire na Guitarra Portuguesa e Pedro Soares na  Viola de Fado mas conta com muitos outros nomes. Além dos músicos portugueses que costumam acompanhar a artista ao vivo, Ana Moura trabalhou, neste álbum, com músicos internacionais de renome, cujas colaborações demonstram o seu talento e versatilidade. O single Dia de Folga já se tornou num verdadeiro sucesso.

 

 

To Pimp a Butterfly Kendrick Lamar

Para Barack Obama, a melhor música do ano está neste álbum de Kendrick Lamar e é How Much a Dollar Cost.  O rapper de Compton, que se transformou no porta-estandarte de uma nova geração do hip hop, editou em 2015 o seu segundo álbum To Pimp A Butterfly. Depois do aclamado “Good Kid, M.A.A.D. City”, que elevou o rapper de 27 anos a estatuto de fenómeno, Lamar regressou, lançando de surpresa o single de estreia deste disco, ”i”, que trouxe uma narrativa positiva sobre os mais recentes desafios da comunidade negra, sobretudo nos E.U.A, e o single “The Blacker The Berry”. Um artista que merece atenção nos próximos anos!

 

 

Art Angels

Grimes é o alter-ego da canadiana Claire Boucher e, em 2015, está de regresso com o álbum Art Angels. Este álbum, há muito aguardado desde o disco Visions, incorpora influências de Enya, TLC, Fever Ray e Aphex Twin, ao mesmo tempo que se passeia por géneros como o New Jack Swing, IDM, New Age, K-pop, Industrial ou glitch. Com um resultado inebriante e improvável, mas que consegue aplausos, Grimes dá novos mundos à pop e mostra que tem muito para dar. O álbum, aplaudido pela crítica, será certamente muito bem-vindo por todos os que apreciarem música alternativa e ansiarem por novos sons.

 

Beauty Behind the Madness

Beauty Behind the Madness: o terceiro álbum de The Weeknd, o rapper que, mesmo não tendo ganho nenhum Grammy até á data, já recebeu uma nomeação e se mantém como forte candidato para o prémio no próximo ano. E as probabilidades de ganhar o prémio de Melhor Álbum são bastante altas. Com este disco conseguiu colocar inúmeras faixas nos tops, entre as quais Can’t Feel My face, por Max Martin (produziu “1989” de Taylor Swift), “The Hills”, “Earned It” (um dos grandes sucessos de 2015 e que integrou a banda sonora do filme “50 Sombras de Grey”) e “Often”.

 

I love you, honeybear

I Love You, Honeybear é o muito antecipado álbum de Father John Misty e vem suceder o seu álbum de estreia Fear Fun. Neste álbum encontramos músicas como “Bored In The USA,” “Chateau Lobby #4 (in C for Two Virgins),” e ainda  “True Affection,”. O álbum contou com a produção de Josh Tillman e Jonathan Wilson e soma, no total, 11 músicas que incorporam melhor do que nada aquilo que se está a fazer atualmente no género indie alternativo. O artista, que esteve em  Portugal em 2015, confirmou já o seu regresso ao país em 2016.

 

Currents

Escrito, composto, gravado, produzido e misturado por Kevin Park, o álbum Currents marca o regresso dos Tame Impala, muito possivelmente a maior banda de rock nascida nos últimos 10 anos. O single Let It Happen é talvez a melhor faixa de todo o álbum e certamente o mais audaz tema editado em 2015, contando com uma bateria e voz que parecem apontar para algo familiar mas que, afinal, se transforma em algo surpreendente. Recordamos ainda que os Tame Impala passaram por Portugal em 2015, marcando presença no festival Vodafone Paredes de Coura. O presente ideal para qualquer festivaleiro fã de música eletrónica!

 

Futuro Eu

Não estamos habituados a ouvir David Fonseca cantar em português mas é exatamente isso que acontece no álbum Futuro Eu, o primeiro cantado unicamente na língua portuguesa. Apesar de David Fonseca ter experimentado cantar na sua língua materna, em alguns dos seus temas, nunca antes tinha editado um álbum todo nesta língua. Os sinais de que isso poderia vir a acontecer começaram quando David Fonseca colocou online algumas músicas, entre as quais “Futuro Eu”, “Chama-me Que Eu Vou” e “Hoje Eu Não Sou” (três canções que estão disponíveis neste disco).

 

Divers

A harpista e cantora Joanna Newsom brinda os seus fãs, em 2015, com aquele que foi o seu quarto álbum de estúdio Divers e que convida os ouvintes para uma audição submersiva e relaxada. Aplaudido pela crítica, que o considerou mesmo como um dos álbuns do ano, Divers integra 11 faixas, entre as quais especial destaque para o single Sapokanikan. O álbum foi pensado cuidadosamente, como contou a artista à Entertainment Weekly, com o intuito de conduzir o ouvinte ao longo de uma experiência sonora sem igual.

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *