Home / Concertos /

VODAFONE PAREDES DE COURA (DIA 4): Potros relampejantes na tertúlia de Benjamin

VODAFONE PAREDES DE COURA (DIA 4): Potros relampejantes na tertúlia de Benjamin

Mídia Kit Blog Mundo de Músicas
 

Antes de iniciar a crónica sobre o quarto e último dia do festival Paredes de Coura 2017 este vosso devoto escriba quer fazer uma declaração de interesse: Benjamin Clementine não é, definitivamente, a minha praia. Avancemos, então, para o retrato do derradeiro dia de Coura’17 e comecemos pelo muito aguardado e, também, muito elogiado concerto do norte-americano.

Distintiva voz carregada de soul, composições interessantes e grande empatia com o público foram alguns dos destaques ao concerto do norte-americano, mas… vamos por partes. Ora bem, a voz é, de facto, interessante, mas, das muitas que se ouviram no anfiteatro natural do Taboão, escolho o tom sincero e pontuado a guturais de Samuel T. Herring, dos Future Islands.

Sobre as composições, e para fugir à sonoridade mais tradicional e desejada em Coura, aponto as dos BadBadNotGood ou as dos Timber Timbre como as mais distintivas. Bem, e quanto à empatia com o público, Lightning Bolt ou os mais antigos At The Drive-In são dois belos exemplos de como se interage com uma plateia, que não só canta e dança, como ainda rebola, surfa e delira.

Numa coisa Benjamin foi, realmente, único: a conversar. Foi o mais conversador, experimentando até alguns improvisos musicais socorrendo-se da prestação do público. No fundo, foi uma tertúlia pontuada a música e que, de facto, agradou bastante à massa humana. A este escriba nem tanto!

Até pode ter sido um grande concerto para quem gosta do estilo ou é fã, mas, definitivamente, não é a minha praia.

Fotografia da autoria de Hugo Lima

Final em grande no Festival Paredes de Coura 2017

Posto isto, o episódio 25 de Paredes de Coura esteve à altura da marca do tempo e terminou, como se queria, em enorme festa. Finda a actuação dos Foals, uma voz algo desafinada deu o mote para as cerca de 28 mil pessoas presentes no recinto entoarem a uma só voz o «Parabéns a você», enquanto pelos ecrãs do palco Vodafone passavam imagens de momentos do passado do festival e dos seus fundadores.

Em simultâneo à exigida salva de palmas final, ouviu-se «All friends», dos LCD Soundsystem, explodiram confetis sobre a imensa plateia e caíram enormes balões vermelhos do estrelado céu de Paredes de Coura. Foi um epílogo grandioso e, de certa forma, catártico que aqueles milhares de almas precisavam, ao fim de quatro dias de festival (muitas delas muito mais do que isso!) a fruir Coura XXV. Cantou-se, dançou-se, celebrou-se, jurou-se amor eterno e prometeu-se regressar para o ano, entre 15 e 18 de Agosto.

Outros destaques do último dia do Festival Paredes de Coura 2017

Mas no quarto e derradeiro dia muito mais se viu e ouviu para além da já referida tertúlia de Benjamin Clementine. Destaque para a pujança noise rock do «power duo» Lightning Bolt, que no palco Vodafone.FM geraram um enorme alvoroço entre a plateia. Catarse q.b. num palco por onde passaram outros artistas interessantes como Alex Cameron.

Pelo palco principal o desfile foi de grande nível. Manel Cruz abriu as hostilidades, mas foi com os Foxygen que a animação se instalou no anfiteatro natural do Taboão, fruto do seu indie rock psicadélico e da postura empolgante de Sam France.

Fotografia da autoria de Hugo Lima

 

Seguiu-se o dito Benjamin, para a noite fechar com dois grandes concertos protagonizados por Ty Segall e Foals.

Rock à farta cujo apetite foi aberto pelo norte-americano que se fez acompanhar pela The Freedom Band, que eleva musicalmente a actuação a um nível muito alto. Já os Foals foram o que habitualmente se espera deles, e estava muita gente (só) à espera deles. Festa no palco, festa na plateia e rock como se gosta. Na memória está ainda «Spanish Sahara», momento de eleição para este vosso escriba. Como habitualmente, a festa terminou com «Two steps, twice».

Como já começa a ser tradição, Nuno Lopes trocou uns discos e pôs a malta mais resistente a bailar, tendo encerrado o festival já alta madrugada.

Fechava mais uma edição de Paredes de Coura, a 25ª, com um nível bastante bom, à semelhança do que foi o dia de abertura, e cujo balanço será feito oportunamente.

 

Reveja as minhas crónicas do Festival Vodafone Paredes de Coura 2017 DIA 1 e DIA 2 e DIA 3.

Fotografia da autoria de Hugo Lima

 

As fotos desta crónica foram cedidas gentilmente pelo Hugo Lima, a quem agradecemos o espírito de partilha, e por isso mesmo publicamos em baixo mais algumas excelentes imagens! Se queres conhecer melhor o seu trabalho, o site dele é este aqui em http://www.hugolima.com/

 

Fotografia da autoria de Hugo Lima

 

Fotografia da autoria de Hugo Lima

 

Fotografia da autoria de Hugo Lima

 

Fotografia da autoria de Hugo Lima

 

Fotografia da autoria de Hugo Lima

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *