Home / Indústria Musical /

5 programas para ouvir música na Internet

música na Internet

5 programas para ouvir música na Internet

 

Há muitos anos atrás, o meu pai mostrou-me uma enorme grafonola antiga, uma relíquia com mais de um século, que tinha sido comprada pelo meu bisavô. Na altura, era eu ainda uma criança, fiquei absolutamente admirado ao constatar que era assim que se ouvia música antigamente. A pilha de velhos discos enormes, cheios de pó, nada tinha a ver com os CD’s que juntava à beira da aparelhagem lá em casa.

Hoje, a realidade é de novo tão diferente que os meus velhos CD’s já começam a parecer tão obsoletos como os discos que o meu pai me mostrou. Estamos na era do digital e o digital está a revolucionar todos os conteúdos e informação. A música não é excepção à regra.

Programas como o Spotify, o Tidal e o Apple Music tornam possível aceder de forma fácil e gratuita a um número sem fim de músicas produzidas por artistas rock, compositores clássicos e até mesmo os mestres do electro. As aparelhagens dão lugar a computadores e a dispositivos móveis como os tablets e os smartphones. A tendência é que tudo vá diminuindo e diminuindo, e que a música se adapte e readapte às novas realidades.

É por isso mesmo que neste artigo falo de serviços que colocam a música na Internet. Programas que existem em versão gratuita ou paga mas que têm sempre o mesmo objetivo: proporcionar-lhe o melhor da música, esteja onde estiver.

5 programas para ouvir música na Internet

Spotify

O Spotify está a revolucionar a indústria da música como já não acontecia há décadas. Este sistema, que funciona gratuitamente, permite ouvir música sem limites. O único inconveniente imposto ao utilizador grátis é a passagem de publicidade que aparece sempre intercalada entre algumas faixas. No entanto, é importante realçar que o Spotify tem ao seu dispor um número sem fim de álbuns, desde os últimos lançamentos a clássicos antigos. A modalidade premium poupa-o a publicidade e permite aos utilizadores ouvir música em modo offline.

 

Tidal

Criado por um grupo de artistas conceituados, entre os quais se contam Madonna, Beyoncé, Jay-Z e Rihanna, o Tidal assume-se no mercado como uma resposta ao Spotify. A proposta dos artistas é simples: música a alta qualidade mas paga. Se o utilizador quer ouvir, tem de pagar. Ao ser feito por artistas e diretamente para os fãs, o Tidal procura revolucionar o mundo da música, fazendo chegar muito mais do que os últimos hits. Videoclips em alta qualidade e informação exclusiva fazem parte dos conteúdos oferecidos pelo Tidal.

Apple Music

A Apple Music é a plataforma mais recente a figurar nesta lista mas, uma vez que contém o selo da mesma empresa que o iPhone e o iPad, faz todo o sentido que mereça um pouco da nossa atenção. Em julho de 2015, a Apple lançou o seu serviço de streaming de música que chega a inúmeros países, entre os quais Portugal e Brasil, e que disponibiliza aquando do seu lançamento uma biblioteca com mais de 30 milhões de músicas. A cereja no topo do bolo é que os 3 primeiros meses de utilização são gratuitos, sendo que, a partir desse período, os utilizadores deverão decidir se querem ou não pagar a mensalidade mínima de 9, 99 euros ou 10 reais, pelo uso individual.

Google Play Music

Como seria de esperar, o Google também quis marcar presença na indústria musical. O Google Play Music integra um sistema de loja online, facilitando aos utilizadores a compra de álbuns ou faixas musicais. A versão premium do serviço tem um preço mensal de 9,99 euros e pode ser testada gratuitamente durante 30 dias. A versão grátis, semelhante ao Spotify, inclui publicidade. Uma das mais valias desta ferramenta é a possibilidade de qualquer utilizador vender a sua música e obter um lucro de 70%.

Napster

O Napster já é mais antigo mas ainda assim não merece ser esquecido. Nascido no final dos anos 90, começou por se afirmar no mundo cibernético como pirata. Mesmo assim, o Napster era utilizado por 8 milhões de utilizadores. Desde então estabeleceu-se legalmente, após vários incidentes judicais e é hoje composto por 20 milhões de músicas que podem ser reproduzidas no computador e em dispositivos móveis.

   

Partilhar este artigo

Comentários

  • 02 setembro, 2015

    Recordo-me de adorar um walkman de cassete na montra da loja de electrodomésticos no meu bairro e quando finalmente recebi um de presente…espanto era à prova de água…memórias fantásticas!
    Hoje em dia temos muito mais facilidade em ter música sempre connosco, utilizo o spotify recomendo.

    • Eduardo Aranha
      Eduardo Aranha
      22 setembro, 2015

      Olá Blog do Cusco!
      Que saudades do Walkman, não é? Por cá também temos! Mas sim, hoje o Spotify é excelente para ouvir música. Também o recomendamos. Obrigado pelo seu comentário e esperamos que continue a gostar do nosso blog.
      Cumprimentos

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *