Home / Música /

Afinal, será que sabe o que significa MP3?

Afinal, será que sabe o que significa MP3?

 

Habituados ao streaming e aos downloads, hoje em dia encaramos o MP3 com a maior das naturalidades. O formato banalizou-se de tal forma que basta perguntar a qualquer nativo digital para que este nos diga que se trata de um ficheiro de áudio. Alguns confundem-no com o aparelho eletrónico apelidado com o mesmo nome, mas, atenção, não é desse que falamos neste post.

Para todos os que não sabem o que significa MP3, deixamos uma breve explicação sobre o significado do ficheiro de música mais popular da Internet. Procuramos não usar demasiados tecnicismos e deixar informação clara para que não restem dúvidas quanto ao asunto. Para saber mais sobre a história do MP3, leia este artigo.

Começando pelo princípio: MP3 é uma abreviatura de MPEG Layer 3, uma versão criada depois do MPEG-1 (ou MPEG Layer 1) e do MPEG-2 (ou MPEG Layer 2). O MPEG – Moving Picture Group – é um sistema de compressão de áudio e vídeo que permite guardar conteúdos sem que haja grandes perdas de qualidade. Os mais atentos provavelmente já viram, pelo menos, um destes formatos no seu computador.

Mas, qual a diferença entre as layers? A palavra layer (ou camada, em português) remete para o tipo de qualidade do ficheiro. Quando um ficheiro é convertido para MPEG-1 há uma perda menor de informação do que quando convertido para MPEG-2 e MPEG-3. Por outras palavras, tanto o MPEG-1 como o MPEG-2 têm melhor qualidade do que o MP3.

O problema é que qualidade requer espaço, o que faz com que os primeiros dois formatos sejam significativamente mais pesados do que o MP3.

A importância do MP3 na indústria musical

No que diz respeito à música, é comum os estúdios usarem as versões MPEG-1 e MPEG-2 para gravarem os temas. Todavia, quando chega a altura de lançar os singles ou álbuns para o mercado, optam por fazer uma conversão para MP3. Na maioria dos casos, dá-se uma redução de 90% do tamanho original.

 

Porquê que isto acontece? Porque além de ser bastante mais leve, o ficheiro MP3 mantém qualidade suficientemente para que a música possa ser ouvida em condições normais pelo ser-humano.

O tamanho pode variar e é comum encontrarmos músicas com a mesma duração, mas com pesos completamente diferentes. Isto acontece porque não se trata tanto dos minutos que a música tem, mas da qualidade da conversão.

Não estranhe, portanto, se reparar que Shine On You Crazy Diamond dos Pink Floyd ou a Sinfonia n.º 9 de Beethoven ocuparem menos espaço do que um tema com os tradicionais 3 minutos. Se isto acontecer, é porque a qualidade da conversão feita na música de 3 minutos é muito superior à da dos clássicos.

Follow my blog with Bloglovin

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *