Home / Hip-Hop /

Kanye West: muito mais do que um artista singular

Kanye West: muito mais do que um artista singular

Kanye West é mais que um simples artista. O lançamento de um novo álbum do cantor é um momento sempre muito aguardado pela sua legião de fãs, sendo geralmente seguido de milhares de comentários e reações de especialistas e amadores, como também de milhões de aplausos por parte da sua audiência.

Os fãs mais ferrenhos apostam sobre o lugar do seu próximo culto (conhecido por Sunday Service) ou sobre o nome de um eventual quarto filho. Isto pode ser um pouco mais estranho do que os tradicionais jogos de azar, mas indica o quão empolgante e sensacionalista é o artista e mostra claramente que ele não é um mero cantor de rap.

Kanye West entra em 2020, por mérito próprio, como uma das pessoas mais influentes da Internet, juntamente com o colega de trabalho Jay-Z e outras figuras mediáticas como, por exemplo, Donald Trump.

Sempre foi assim? Definitivamente não. Ainda assim, desde o início Kanye West sempre teve o potencial de se tornar um artista lendário: ele sempre foi diferente!

A Música e a Arte na vida de Kanye West 

Kanye West escreveu a sua primeira poesia aos cinco anos de idade. Cerca de cinco anos depois, iniciou-se no rap. Aos 15 anos, fez a sua primeira música com o título “Green Eggs and Ham”. Apesar do forte interesse na música, essa não era a sua única área de interesse.

Desde cedo, a mãe do artista notou a sua afinidade pelas artes plásticas. West matriculou-se na American Academy of Art em 1997, disposto a comprometer-se com a pintura. Participou em várias aulas de arte e manteve algumas das suas obras, que mais tarde mostrou ao mundo num episódio da MTV News. Pouco depois foi transferido para a Chicago State University.

Ainda hoje, ele manifesta interesse em belas artes. Recentemente, afirmou que lecionaria no Art Institute of Chicago. Contudo, a instituição desmentiu prontamente as afirmações do artista, não obstante os seus esforços serem inquestionáveis.

Em 2016, Kanye West expôs a sua obra de arte controversa constituída por doze celebridades a dormir numa cama. A exposição teve lugar na galeria Blum&Poe em Los Angeles e foi avaliada em quatro milhões de dólares americanos. 

Um Grande Artista, Produtor ou apenas Marketing?

Kanye West iniciou a sua carreira musical como produtor de nomes sonantes da indústria. Estávamos ouvindo músicas de Jay-Z, Nas e Ludacris sem imaginar que o talento de West era a base de algumas delas. Alguns anos depois, ele criou a sua gravadora, a ‘Good Music’. Antes disso, existiram momentos em que nenhuma das gravadoras o queria apoiar como rapper porque ele não seguiu uma “imagem gangster“, dominante no hip-hop.

Ele pode ser nomeado um grande produtor, mas e o profissional de marketing que há dentro dele? Alguns críticos afirmam que a influência de Kanye West advém de uma boa promoção e não de sua habilidade e mente inovadora. Tais afirmações são sustentadas por exemplos de episódios embaraçosos como aqueles em que Kanye interrompeu o discurso de Taylor Swift ou alegou que a escravidão era “uma escolha dos negros”.

Kanye diz o que pensa sem qualquer consequência. Ele apresenta-se como Jesus na revista Rolling Stone e compara-se a Deus. Não obstante ele seja propenso à auto adoração, podemos negligenciar o seu talento musical por causa disso? O génio de Kanye West não foi reconhecido desde o início, pois todos queriam rotulá-lo de “rapper gangster“, mas fracassaram. Ele traz sangue novo à cultura hip-hop e, justamente por isso, muitos de nós o admiramos.

O que é exatamente o Sunday Service de Kanye West?

Além de influenciar a indústria da música, Kanye West começou a pregar o seu próprio “culto religioso” em 2019. Desde janeiro desse mesmo ano, ele organiza o “Sunday Service”, um encontro religioso que ocorre no final de cada semana.

Durante o evento, Kanye e seu grupo coral cantam versões gospel das músicas do rapper, além de composições associadas ao Cristianismo. O Sunday Service tem regras rigorosas: todos os participantes devem seguir um código de vestuário e assinar acordos de confidencialidade – apenas os portadores de convites podem participar neste culto do artista.

A aura sigilosa que envolve estes cultos preocupa alguns especialistas. No entanto, o “culto” aparenta ser inofensivo, até ao momento, e reforça a fé cristã entre as gerações mais jovens – que costumam ser céticas em relação às religiões mais tradicionais.

Este culto vem expor um pouco mais da personalidade do Kanye West e mostra que ele é realmente uma das ‘vozes mais altas’ da década. Da moda à religião, a marca de Kanye West está em toda parte.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *