Home / Indústria Musical /

A partir de agora, já pode cantar Happy Birthday à vontade

A partir de agora, já pode cantar Happy Birthday à vontade

 

A questão provavelmente nunca lhe tinha passado pela cabeça, mas até há bem pouco tempo o tema Happy Birthday, tantas vezes cantado no cinema e fora dele, tinha direitos de autor. Graças ao pagamento desses direitos, todos os anos a Warner Chappel Music recebia cerca de 1,5 milhões de euros, mas uma decisão do Tribunal Federal de Los Angeles veio dizer que afinal a música é de domínio público e, por isso, pode ser usada por quem muito bem lhe apetecer.

A quezília começou em junho de 2013, data em que a documentalista Jennifer Nelson decidiu processar a Warner Chappel Music na sequência de um documentário que ela própria estava a realizar. O documentário chamava-se Happy Birthday, contava a história da canção e obrigou ao pagamento de 1200 euros pelos direitos de autor.

O processo jurídico arrastou-se durante dois anos. Durante esse período foram analisados diferentes argumentos e validados documentos. Em setembro de 2015, a sentença final chegou: segundo o tribunal, a documentação detida pela Warner Chappel Music não era suficiente para justificar os direitos de autor, originalmente registados em 1935 pela Clayton  F Summy Co e comprados pela editora musical num investimento que eles próprios classificaram como proveitoso.

Posto isto, de acordo com o juiz do caso, George H. King, esses mesmos direitos serviam apenas para justificar a originalidade da melodia, mas não acrescentavam nada quanto à autoria da música. Assim, o argumento prevalecente foi o de que a canção é do público e pode ser usada por todos. Nas palavras de Mark C. Rifkin, advogado de Jennifer Nelson, Happy Birthday “é uma canção criada pelo público, pertence ao público e tem de ser devolvida”.

Com o culminar da batalha em tribunal, surgiram várias reações. Randall Newman, compositor, cantor e pianista, detentor de dois Óscares,  afirmou ao The Guardian que já estava mais do que na hora de a canção poder ser usada sem restrições.” Happy Birthday está finalmente livre depois de 80 anos”, afirmou. Do lado contrário, há ainda quem defenda que a música deve ter direitos de autor e há ainda um site ativo que apoia a luta por esta causa, o Unhappy Birthday.

De acordo com a legislação norte-americana, todas as músicas que possuam direitos de autor só podem ser usadas para fins comerciais mediante o pagamento de uma determinada quantia à entidade detentora. Tal aplica-se no cinema, televisão, música ou espetáculos, incluindo não só grandes produções como simples manifestações públicas em festas ou restaurantes.

Happy Birthday: a história dos Parabéns a Você

Como podemos ver por toda a controvérsia, a história de Happy Birthday to You, ou simplesmente Happy Birthday, não é fácil de traçar. Ao que tudo indica, as origens da canção remontam a século XIX, altura em que as irmãs Patty e Midred J. Hill apresentaram o tema, então chamado de Good Morning to All (Bom Dia a Todos), no jardim de infância de Patty, no Kentucky.

 

Apesar de ser original, a música era muito semelhante à de outras que estavam em voga. Segundo Kembrew McLeod, professor de comunicação e artista norte-americano, o tema era na verdade uma espécie de mistura e adaptação de outras canções, como Happy Greetings to All, Good Night to You All e até A Happy New Year to All.

O que terá acontecido depois não se sabe muito bem, mas o mais provável é que os alunos e professores do jardim-de-infância do Kentucky tenham também eles feito ligeiras adaptação a Good Morning to All até chegarem a Happy Birthday to You.

A primeira transposição da letra para o papel ocorreu na viragem do século, mais precisamente no ano de 1901. A partir daí, o tema começou a aparecer com alguma frequência até que na década de 1930 começaram a surgir vários arranjos ao piano. Em 1935, registaram-se os direitos de autor que o processo de que falamos anteriormente veio invalidar, mais tarde comprados pela Warner Chappell Music, em 1985.

Marylin Monroe e outros e parabéns

É praticamente impossível contabilizar as vezes que Happy Birthday to You foi cantada em filmes, espetáculos ou outros eventos. A versão mais recordada será seguramente a de Marylin Monroe, dedicada ao ex-presidente norte-americano John F. Kennedy durante a celebração do seu quadragésimo quinto aniversário – curiosamente celebrado antes do tempo.

 

Desde a performance de Marylin Monroe até à atualidade, também foram várias as utilizações de Happy Birthday na televisão. Para dar alguns exemplos, podemos falar da série juvenil iCarly, de 30 Rock, série assinada por Tina Fey, ou de Star Trek: The Next Generation.

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *