Home / Música Brasileira /

O Coral dos Canarinhos de Petrópolis celebrou 74 anos

coral dos canarinhos

O Coral dos Canarinhos de Petrópolis celebrou 74 anos

 

Estamos algures em 1942, quando o alemão Frei Leto chega a Petrópolis, no Brasil, e aí decide criar um coro masculino para interpretar alguns dos mais bonitos hinos religiosos.

Este seu sonho tornou-se definitivamente tangível no dia 15 de agosto de 1942, quando o Coral dos Canarinhos de Petrópolis se apresenta pela primeira vez na Igreja do Sagrado Coração de Jesus para uma atuação pública. Este momento marcava o início de um coro que, com o passar das décadas, tem conciliado nos seus cânticos tradição e espírito pioneiro.

Em 2016, o Coral dos Canarinhos celebra com orgulho o seu 74.ª aniversário e o balanço de todo o trabalho não podia ser mais positivo. O grupo vocal, que se consagrou como um dos maiores patrimónios de Petrópolis, é o mais antigo e tradicional coro masculino de todo o Brasil. O público aplaude a qualidade técnica do coro; este, por sua vez, vê nesta oportunidade uma espécie de escola de vida.

O Coral dos Canarinhos: memórias do passado que fazem o hoje

O Coral dos Canarinhos, que hoje pertence ao Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis (IMCP), deu ao longo da sua existência uma excelente oportunidade para que milhares de crianças e adolescentes pudessem ter acesso a um ensino musical exemplar inteiramente gratuito.

Nomes ilustres passaram por este grupo musical. É o caso, por exemplo, de Seu Geraldo de Mello que fez parte do grupo Canarinho entre 1953 e 1955. Em 2016, incrivelmente, também completa 74 anos e lembra com saudade a sua época no coro.

“No meu tempo, éramos muito carentes, a minha família era muito pobre. Eu pegava os sapatos da minha irmã e enchia de jornal para poder me apresentar. No entanto, esse era o momento que me fazia feliz. O coro me ensinou a admirar a música clássica e a valorizar a cultura. Uma época dourada da minha vida e infância”, admitiu Seu Geraldo de Mello.

 

Porém, aprende-se muito mais que música no Coral dos Canarinhos. Pelo menos é isso que diz o maestro Marco Aurélio Lischt. A liderar o coro há 18 anos, Lischt já esteve do lado dos coristas e conta como foi a experiência.

“Aqui, as crianças têm noção de mundo, aprendem o que é responsabilidade e disciplina. É difícil encontrar alguém que não se sinta grato pela oportunidade de ter tido os Canarinhos como parte de sua educação. As experiências adquiridas e o contato com a cultura daqui e de outros países proporcionam uma vivência única na vida desses meninos”, contou o atual maestro do Coral dos Canarinhos.

Entretanto, o Coral dos Canarinhos de Petrópolis já percorreu o Brasil e o mundo, com várias tours que os levaram ao longo da América Latina, Europa e Estados Unidos. Um olhar atento à história do coro permite ainda contabilizar a passagem de cerca de três mil coristas no grupo, jovens rapazes que entregaram a sua voz à causa e se esforçaram para dar o seu melhor. O trabalho de gerações pode ser ouvido na ampla discografia dos 18 álbuns gravados.

Ao longo dos 74 anos que passaram, o Coral dos Canarinhos teve oportunidade de fazer três concertos para o Papa João Paulo II e de participar diversas vezes no Projeto Aquarius, destacando-se a edição que teve lugar na praia de Copacabana em 2006 com as Orquestras Petrobras Sinfônica e Sinfônica de Porto Alegre.

Em 2014, o grupo voltou encontrar-se com a Orquestra Petrobras Sinfônica, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, para apresentações da clássica obra “O Messias”, de Handel. Recentemente, em 2016, os Canarinhos cantaram ainda o oratório “A Paixão segundo São João” lado a lado com as Meninas dos Canarinhos, a Orquestra Filarmônica de Petrópolis e solistas convidados.

 

Partilhar este artigo

Comentários

  • Aurea Massi Lopes
    11 agosto, 2016

    Parabéns a esse grande coral. Sou avó de ex canarinho e só tenho a agradecer a Deus por ele ter pertencido a esse maravilhoso coral. Tenho muito orgulho de meu neto, que hoje é formado em direito, fez mestrado na UERJ e atualmente está fazendo doutorado na mesma universidade. Agradeco por tudo.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *