Home / Punk /

Commando: as palavras de Johnny Ramone na primeira pessoa

Commando: as palavras de Johnny Ramone na primeira pessoa

 

Commando: The Autobiography of Johny Ramone começou a ser escrito em 1999, altura em que o eterno guitarrista dos Ramones foi diagnosticado com cancro na próstata. Embora contenha as palavras e pensamentos do músico naquele momento, a obra só foi publicada 8 anos depois da sua morte, chegando ao mercado em 2012. Linda Ramone, esposa do guitarrista, foi a responsável pela publicação.

commando-livroDe acordo com a compositora e filantropa, Commando possui uma mensagem forte muito pelo facto de ter sido escrito numa etapa difícil da vida de Johnny Ramone. “É um livro poderoso porque a vida ‘passou-lhe à frente dos olhos’, ele sabia que ela estava prestes a acabar e sentiu a necessidade de contar ao mundo o que sentia por dentro; é isso que faz com que o livro seja tão incrível”, explicou Linda Ramone numa entrevista à Billboard Magazine.

O cancro representa uma parte importante da obra, mas não é só sobre ele que Commando fala. Pelo contrário, o livro leva-nos numa visita ao passado do guitarrista, sendo que é o próprio Johnny Ramone quem ocupa o papel de guia. Ao longo de mais de 170 páginas, voltamos no tempo até meados dos anos 70, altura em que Nova Iorque via nascer aquela que seria uma das mais importantes bandas do movimento punk.

Numa história mista que se funde com a da própria banda, Commando mostra não só as origens dos Ramones, como descreve o estado de espírito vivido por Johny Ramone. Nas palavras do próprio, ficamos a saber que a persona zangada que incorporava em palco estava longe de ser uma personagem. Muito pelo contrário.

Commando: os muitos episódios da vida de Johnny Ramone

Da fundação à separação, Jonhy Ramone foi um dos membros que se manteve ao longo das várias fases da banda. O livro reflete todo o percurso e inclui mesmo alguns episódios mais caricatos. Falamos, por exemplo, de uma vez em que um polícia nova-iorquino agrediu a plateia de um concerto com um bastão. Ou uma vez em que se envolveu num conflito com Malcolm McLaren e com Joey e Dee Dee Ramone.

 

Commando não estaria completo sem que houvesse uma parte dedicada a Linda Ramone. Ao longo do livro, ficamos a saber os detalhes de como começou o relacionamento de ambos e dos acontecimentos que fizeram com que a compositora decidisse trocar Joey por Johnny Ramone.

Além de opiniões fortes sobre cada um dos membros da banda, que eram também seus amigos, o livro incluiu outros conteúdos, como fotografias exclusivas de carácter pessoal e profissional e tops musicais onde Johnny Ramone enumerava os seus discos e bandas favoritos.

Indispensável para todos os fãs da banda, Commando abre uma porta para o interior do grupo que revolucionou a música e do homem por detrás dos Ramones. A obra mereceu vários elogios da crítica, que a descreveu como um importante legado sobre um movimento que não é só musical.

“Infelizmente póstuma, a autobiografia de Johnny é exatamente como o seu autor – tão punk quanto é possível ser”, escreveu o New York Times.

   

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *