Home / Música /

10 factos interessantes que a ciência revelou sobre o mundo da música

10 factos interessantes que a ciência revelou sobre o mundo da música

 

A música é muito mais do que uma arte. Nos últimos anos, muitos cientistas e musicólogos têm juntado forças com o objetivo de perceber que benefícios a música provoca de facto no ser humano e em todo o mundo que a rodeia.

No blog Mundo de Músicas temos esta necessidade constante de descobrir coisas novas e de mostrar as muitas facetas deste universo musical. Na categoria Música e Ciência temos já vindo a publicar uma série de descobertas científicas que atestam as várias formas de que a música dispõe para impactar a nossa vida.

Neste post, decidimos compilar algumas das curiosidades que a ciência revelou nos últimos anos sobre a Música. Temos a certeza que, pela altura em que chegar ao fim deste artigo, vai estar tão surpreendido como nós ficamos quando escrevemos este artigo. Preparado? Vamos lá então.

10 factos que a ciência revelou sobre o mundo da música

1 – A música e o prazer

A música é prazerosa, sim, mas será que todos sentem o mesmo? Pelos vistos, não. Uma investigação levada a cabo pelo Instituto Bellvitage de Investigação Científica, em Espanha, analisou as entrevistas de mais de mil universitários e constatou que 1% dos participantes considerou que ouvir música era algo menos prazeroso do que fazer sexo, praticar exercícios físicos ou comer.

2 – A música melhor que sexo

Uma investigação levada a cabo pela universidade de Londres a 2 mil pessoas concluiu que a música Bohemian Rhapsody, dos Queen, é melhor do que fazer sexo. De acordo com o artigo, certas músicas são capazes de estimular as mesmas zonas de prazer do cérebro que são ativadas quando comemos e fazemos sexo.

3 – Música faz bem à saúde

Dois cientistas da Universidade de McGill, no Canadá, analisaram mais de 400 estudos sobre música e chegaram à conclusão de que a música aumenta a produção de imunoglobulina A e de glóbulos brancos no corpo. Estes, por sua vez, são responsáveis por atacar bactérias e outros organismos invasores. A música intervém ainda na redução dos níveis de cortisol e no aumento de oxitocina. O que significa isto tudo? Que a música faz bem à saúde.

4 – Poesia e música

Uma equipa de neurologistas da Universidade de Exeter concluiu que a música e a poesia estimulam a mesma área cerebral. A equipa testou a sua teoria em 13 voluntários – que foram submetidos ao contato com essas formas de arte enquanto as suas atividades cerebrais eram vigiadas.

 

5 – O poder da sua música favorita

Sabia que a sua música favorita estimula uma região do cérebro diferente daquela que é estimulada quando ouve qualquer outra canção? Esta conclusão foi retirada por uma equipa de investigadores da Universidade da Carolina do Norte. A experiência analisou 21 pessoas e em geral constatou-se que ouvir músicas abre o circuito neuronal nos dois hemisférios. Porém, ao ouvir a sua música favorita, é gerada atividade no hipocampo, a região cerebral responsável pela memória e emoções.

6 – A música e o exercício físico

Uma investigação do Instituto Max Planck conseguiu perceber que quem faz exercício físico a ouvir música fica menos cansado. Numa série de experiências, os investigadores acompanharam diversas variáveis do comportamento do corpo de voluntários que faziam exercício físico enquanto ouviam música. Posteriormente, os dados foram reunidos e concluiu-se que os músculos dos participantes consumiam menos energia quando as pessoas exercitavam.

7 – Que música nos dá vontade de dançar?

Uma investigação online levada a cabo por cientistas da Universidade de Oxford propôs a 60 pessoas que ouvissem excertos de música que deveriam ser avaliados de acordo com a vontade de dançar. Ao analisarem os resultados, os investigadores perceberam que ritmos com previsibilidade e complexidade médias tendem a fazer com que as pessoas tenham mais vontade de se mexerem.

8 – O gosto muda

Não gostamos da mesma música até morrer. Uma investigação da Universidade de Cambridge teve como alvo esta mesma premissa e, a partir dos dados fornecidos por 300 mil pessoas durante 10 anos, concluiu que os adolescentes procuram estilos de música mais intensos enquanto os adultos tendem a procurar sons mais sofisticados.

9 – A música é excelente para idosos

Ouvir música pode ser um excelente remédio para aliviar a dor e a ansiedade em idosos. Esta descoberta foi feita por uma investigadora da Universidade de Essex. Numa análise de artigos sobre o tema, a investigadora constatou que o uso da música como terapia entre pessoas com mais de 65 anos está associado a aumento da qualidade de vida e redução de dores, ansiedade e até mesmo da depressão.

10 – Os animais e a música

Sabia que alguns animais conseguem acompanhar o ritmo da música? De acordo com uma investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Connecticut, esta habilidade dos animais para reconhecerem o ritmo estará relacionada com a coordenação de circuitos cerebrais.

   

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *