Home / Archives /

Vocalistas

Vocalistas / 77 posts encontrados

Ney Matogrosso: a prova de que as aparências não são tudo

Ney de Souza Pereira abriu a porta a José Manuel Simões, descalço e com o pijama de seda a descarar o peito cabeludo. Sentado com as pernas estendidas lateralmente no sofá cor de rosa, observa, contido. Quem o visse dificilmente identificaria o cantor Ney Matogrosso transfigurado no palco, deixando-se tomar pela emoção.

Uma viagem com Neil Hannon ao Cabaré das Fantasias

Quando José Manuel Simões assistiu ao concerto dos Divine Comedy no Coliseu do Porto, inserido no Super Rock Super Bock 1996, com Neil Hannon a interpretar ironicamente “Last Christmas” dos Wham, com direito a desafinanços vocais e a gargalhadas sem misericórdia na plateia, disse a si mesmo que tinha que falar com ele.

Jay-Jay Johanson, a beleza da dor e as lembranças que inspiram

Jay-Jay Johanson trazia no olhar algo de dramático, de assustador, como se quisesse dizer em surdina que assassinou alguém que depois enterrou numa floresta. Nele era possível vislumbrar ainda pedaços de lascivas intoxicações e enigmáticas alusões à loucura. Eis o que José Manuel Simões recorda deste encontro.

Sting: o chá vegetal que o deixou pálido e quase a desmaiar

Chovia torrencialmente na noite em que José Manuel Simões viu entrar Sting e a mulher no barracão onde um amigo o tinha levado para tomar um chá vegetal indígena de nome ayahuasca. Segundo ele, iria mudar a sua vida. Leia o post completo para saber o que aconteceu.

Janis Joplin: uma branquela com voz de crioula

Estamos em 1943, na cidade texana de Port Arthur quando nasce Janis Lyn Joplin. Sensível e solitária, de baixa auto-estima, esta rapariga de grande propensão artística marcou a história da música e é hoje relembrada, muitos anos depois da sua morte, pelo estilo ousado que tanto destoava do dos seus colegas. Neste post, recordamos a sua vida e obra.

David Bowie: a obra que transcende o corpo, quando até o corpo é parte da obra

David Bowie é o mestre Camaleão, o "outsider transformista" que flutua sobre as diversas gerações, observando, sugando e interpretando. Com a morte inesperada do cantor inglês, o mundo da "Pop" não ficou mais pobre, tem antes o privilégio de ter tido o Renascentismo "Bowieano".

Caetano Veloso: Cê é um disco rock com sabor a tropicalismo

O 28.º álbum do cantor e compositor brasileiro Caetano Veloso, intitulado Cê, foi lançado após seis anos sem originais a solo. Os fãs já não ouviam nada de novo de Veloso desde Noites do Norte, em 2000. Porém, em 2006, o disco composto por 12 canções originais trouxe uma lufada de ar fresco e novas músicas.

Diana Krall: a voz que aproximou o público do jazz

Estamos a 16 de novembro de 1964, na Colúmbia Britânica, no Canadá. É aí, no seio de uma família musical, que nasce uma pequena bebé que anos mais tarde seria consagrada como uma talentosa artista, talvez a mais brilhante da sua família. Neste post, é de Diana Krall que falamos, recontando a história desta artista de jazz que tem conquistado o mundo com a sua voz talentosa.

Scott Weiland não vás embora, fica mais um pouco

Imediatamente quando soube da morte de Scott Weiland lembrei-me da primeira canção do disco de estreia dos Stone Temple Pilots. O título profético Dead & Bloated (Morto e Envaidecido) assenta na perfeição ao capítulo final do cantor. E sim, tenho realmente saudades de um vocalista que ainda agora partiu. Scott Weiland não vás embora, fica mais um pouco, faz mais um disco…