Home / Histórias de Bastidores /

O jantar ao vivo onde conheci os Buraka Som Sistema

buraka som sistema

O jantar ao vivo onde conheci os Buraka Som Sistema

Mídia Kit Blog Mundo de Músicas
 

Em meados de 2004 alguém me ligou a convidar-me para participar num “jantar ao vivo” no Mercado da Ribeira em Lisboa. Como? “Uma refeição que é uma peça de teatro onde uma dezena de pessoas de várias áreas da nossa cultura vai representar-se a si mesmo, interagindo uns com os outros e com o público que está a assistir”.

Fiquei sem perceber muito bem a proposta mas por curiosidade e espírito de aventura lá fui. As apresentações foram rápidas e nunca soube o nome da maioria das pessoas que estavam na mesa, uns actores e outros tantos fadistas, o Belle Chase Hotel J.P Simões que conhecia de boas andanças e dois rapazes que me despertaram a curiosidade: Lil’John, ou melhor, João Barbosa, e um amigo de escola na Amadora, o DJ Riot.

Basicamente, o tal “jantar ao vivo” foi uma grande seca e ainda tive que apanhar com um actor arrogante a desatinar comigo por eu ter escrito a biografia do Júlio Iglésias. “Alguém que escreve sobre um parvalhão como esse fulano só pode ser o quê?”, falou o escanzelado vestido de preto e barba por fazer, raivoso e quase a escumar pela boca logo no início da sessão.

 

Não fosse o DJ Riot pegar no microfone para desviar a conversa e não sei como teria contornado a ofensa. Findo o jantar monopolizado pela performance dos actores, o então gordinho do Lil’John – único sensato que passou a refeição caladinho e a comer – chamou Riot, pegaram nos discos e dirigiram-se à mesa de som.

Foi um alívio aquela lufada de ar fresco, a imediata sensação que a habilidade daqueles dois para manipular os sons iria transformar-se num caso sério. É que aquele set revelava uma estranha novidade. Quando, dois anos depois, vi os dois darem vida a um projecto intitulado Buraka Som Sistema tinha a certeza que iam dar que falar para além do “jantar ao vivo”.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *