Home / Instrumentos Musicais /

11 nomes de instrumentos musicais estranhos

11 nomes de instrumentos musicais estranhos

 

Crwth, lur, gewgaw. Desengane-se se acha que pressionei umas teclas aleatórias do teclado para começar este artigo. Aquelas três palavras que pode ler correspondem, na verdade, aos nomes de instrumentos musicais que são tão estranhos (ou talvez ainda mais) do que os sons que conseguem produzir.

Os instrumentos musicais são a fonte de alguns dos mais belíssimos sons. Ao longo dos séculos, compositores concentraram-se em extrair de tais instrumentos as mais belas sequências. No entanto, quando pensamos em instrumentos musicais, lembramo-nos sempre dos instrumentos convencionais: violinos, pianos, guitarras, bateria e até mesmo o cavaquinho. Mas a questão é que existem muitos outros instrumentos, criados por pequenos génios experimentais ou que fazem parte da cultura etnográfica de certas regiões de que nunca ouvimos falar.

Neste  artigo, juntamos as palavras “esquisito” e “estranho” às nossas pesquisas sobre instrumentos musicais. O resultado foi uma lista de 11 instrumentos de que provavelmente nunca ouviu falar mas que produzem sons que merecem ser ouvidos.

11 nomes de instrumentos musicais que fogem ao normal

Yaybahar

Um músico turco, residente em Istambul, teve há uns anos uma ideia: criar um instrumento que desafiasse todas as barreiras da imaginação, capaz de produzir um som único, digno da banda sonora de filmes de ficção científica. Assim, arregaçou as mangas e pôs mãos à obra para criar o yaybahar. Pegando em alguns instrumentos clássicos e ainda em alguns conceitos mais modernos, o turco Görkem Şen juntou o melhor de dois mundos para criar um bastardo musical. Leia mais aqui sobre este instrumento.

Teremin

Numa frase, descrevemos o teremin como um instrumento musical que, para ser tocado, não precisa do contacto direto do músico. Criado pelo russo Lev Sergeivitch Termen, o instrumento foi o resultado de várias descobertas e testes realizados por este antigo espião do KGB. Ao constatar que ao aproximar a sua mão da antena do rádio afetava a receção do sinal, Termen construiu uma caixa cheia de válvulas, semelhante a um rádio e composta por duas antenas. Ao colocar a mão entre as antenas era capaz de produzir um som de interferência que ficava mais alto quando aproximava a mão de uma das antenas. Em contrapartida, o som diminuía ao aproximar a mão da outra antena.

Stylophone

Um instrumento que é tocado com… uma caneta! A ideia ocorreu a Brian Jarvis em 1967 e o instrumento registou algum sucesso, tendo sido até usado na música Space Oddity de David Bowie. O stylophone é monofônico, extremamente portátil e tem, na verdade, o aspeto de um sintetizador. Para o tocarmos, basta passarmos uma caneta sob a tecla correspondente à nota que queremos tocar.

Cimbalon

Muito popular na Hungria, o Cimbalon é um instrumento estranho, provavelmente um dos maiores a figurar nesta lista e que é tocado com a ajuda de baquetas. No que diz respeito à sua estrutura, o cimbalon é composto por uma caixa trapezoidal com cordas de metal que se estendem por todo o seu topo. Com a ajuda das baquetas, o músico consegue produzir belíssimos sons metálicos.

Crwth

De todos os instrumentos, este é sem dúvida o que tem o nome mais estranho. Alguém consegue pronunciar o nome Crwth? O instrumento, natural do País de Gales, terá surgido em meados do século XI. O formato é em si muito estranho, assemelhando-se a uma guitarra na forma como as cordas são dispostas. Porém, essa é a única semelhança que conseguimos detetar. O som é totalmente distinto daquele produzido de uma guitarra. Tocado com um arco, acredita-se que só 4 exemplares do Crwth tenham sobrevivido ao longo dos séculos. Para facilitar, há quem lhe chame “crowd”.

 

Gewgaw

Este é, de facto, um instrumento extremamente estranho. Trata-se de uma peça de ferro ou bambu, arredonda, ligeiramente mais pequena do que uma mão. A peça deve ser presa entre os dentes e os lábios de uma pessoa e, então, tocada com a ajuda dos dedos. Este instrumento, que é um dos mais antigos de todo o mundo, tem raízes na Ásia.

Sharpsichord

O Sharpsichord combina um cilindro com um mecanismo semelhante ao de uma caixinha de música. O cilindro deve conter cerca de 11500 furos onde o músico introduz uma série de pinos de forma a definir a sua melodia. Depois, é só rodar à manivela: a posição dos pinos emite uma sequência de sons concreta. É um dos poucos instrumentos em que o músico define a composição e, de seguida, precisa apenas de executar um único movimento concreto e mecânico.

Cajon

Este é um instrumento de percussão vindo das Américas… mas com uma batida muito africana. O cajon remonta aos dias das colónias peruanas e dos escravos africanos que, tendo sido separados dos instrumentos de percussão das suas terras natal, decidiram criar novos instrumentos no Novo Mundo. Para cumprirem os seus desígnios, usaram o que tinha entre mãos: caixas de madeira e gavetas. O instrumento tornou-se então popular. Ao longo dos séculos, evoluiu até adquirir a forma pela qual o conhecemos hoje.

Lur

O Lur é um instrumento de sopro de madeira de origem Viking, que remonta à Idade Média. Trata-se de um longo corno, que tanto pode ser plano como curvado, que é soprado a partir de uma ponta. Ao contrário de outros instrumentos de sopro, não envolve qualquer utilização dos dedos.

Nyckelharpa

Se nos mantivermos pelas regiões nórdicas, podemos dar um saltinho à Suécia onde surgiu o Nyckelharpa. Composto por 16 cordas e 37 teclas, este instrumento terá sido inventado em meados de 1350 antes de Cristo e produz um som singular. Hoje, é considerado um dos instrumentos de cordas mais antigos do mundo. Assemelha-se a um estranho violino com um teclado lateral e que é tocado tanto com um arco como com os dedos que pressionam as teclas.

Zeusaphone

O Zeusaphone tem um nome imponente, derivado do mítico Deus grego que governava o Olimpo e enviava relâmpagos para castigar os mortais. O instrumento produz por isso sons através de choques elétricos que são emitidos por bobinas de Tesla. O resultado é no mínimo interessante.

Esperamos que tenha gostado deste artigo e que daqui em diante se possa lembrar dos nomes destes instrumentos musicais sempre que quiser surpreender um amigo que adora música.

 

Partilhar este artigo

Comentários

  • Dailto Arruda
    23 February, 2016

    estou procurando um professor de guitarra havaiana lap steell me envie o mais rapido possivel

    • Gonçalo Sousa
      Gonçalo Sousa
      19 April, 2016

      Olá Dailto, muito obrigado pela sua pergunta e comentário. Na verdade, desconhecemos um curso tão específico quanto esse ou até mesmo um professor que dê aulas sobre esse tipo de guitarrras. Mas se descobrirmos avisamos. Entretanto espreite com regularidade os nossos posts sobre Cursos de Música em http://mundodemusicas.com/category/cursos-de-musica/ ou a lista que atualizamos com frequência em http://mundodemusicas.com/aulas-de-musica/ . Grande Abraço 🙂

  • 20 October, 2017

    Falta o tenori-on, o ude e (porque não) o cavaquinho?!

    Vejam trabalhos do Bill Bailey ou do cómico holandês – não me lembro agora do nome, mas é um tipo muito conhecido e faz shows em todo o Mundo – que fazem stand up à volta de instrumentos ‘marados’.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *