ÚLTIMOS POSTS

Rapper portuguesa Capicua brilha intensamente no álbum Madrepérola

O álbum “Madrepérola” está repleto de colaborações surpreendentes que expandem o universo único de Capicua, que regressou às edições com força e vigor, arrancando os aplausos generalizados da crítica especializada e dos seus milhares de seguidores em Portugal e no resto do Mundo.

Kanye West: muito mais do que um artista singular

Kanye West é mais que um simples artista e entra em 2020, por mérito próprio, como uma das pessoas mais influentes da Internet. Sempre foi assim? Definitivamente não. Ainda assim, desde o início Kanye West sempre teve o potencial de se tornar um artista lendário: ele sempre foi diferente!

SHUFFLE II: Limp Bizkit

O Manuel Tinoco de Faria relembra o álbum Significant Other dos Limp Bizkit, um disco que faturou milhões, que meteu toda a gente a acordar com a Break Stuff e a imitar todo o palavreado (erudito, diga-se) que Fred Durst vertia nas letras. Confira agora!

Post Punk Strikes Back Again 3: Evolução na continuidade e na diversidade

A sensação, finda a terceira edição do Post Punk Strikes Back Again, foi de grande satisfação e no momento que costuro estas palavras é de confirmação de que o pós-punk está bem vivo, apesar da venerável idade.

Post Punk Strikes Back Again: Terceira edição é a 7 de Dezembro no HardClub

Inglaterra, Alemanha e Holanda são as proveniências das sete bandas que este ano preenchem o cartaz da terceira edição do festival Post Punk Strikes Back Again (PPSBA), que decorrerá dia 7 de Dezembro, no Hard Club.

SHUFFLE I: Dave Matthews Band

A série Shuffle revolve álbuns antigos e bons. Ou não tão bons porque nem tudo o que é antigo é obrigatoriamente giro. Significant Other, dos Limp Bizkit, que fez 20 anos este Verão, pode ter influenciado uma geração mas não era lá grande coisa. Hoje começo com um senhor que volta e meia entra na moda mas nunca por lá ficou. Chama-se Dave. Não é Grohl. Não é Weckl. Não é Navarro. É o Matthews pá.

Ornatos Violeta: 20 Anos do disco O Monstro Precisa de Amigos

22 de novembro de 1999: o álbum incontornável “O Monstro Precisa de Amigos” vê a luz do dia. 22 de novembro de 2019: os 20 anos do álbum “O Monstro Precisa de Amigos” dos Ornatos Violeta são celebrados com uma caixa especial que nos faz olhar para este disco tão importante da música portuguesa como se fosse a primeira vez.

Primal Scream no Hard Club: A festa rock em tons rosa-choque

Enfiado num estreito fato rosa-choque, Bobby Gillespie abordou o palco aparentemente distante e a medo, mas não passaria de uma primeira e errada impressão. A noite revelar-se-ia prodigiosa e teve como protagonista o mentor dos Primal Scream, cuja apresentação no Hard Club, no Porto, se deveu ao lançamento da retrospectiva «Maximum Rock’n’Roll – The Singles», uma edição remasterizada dos singles que fazem (um)a história de mais de três décadas da banda escocesa.

Here comes Bassel!

Por vezes o Spotify acerta. Assim tinha sido com ‘Portuguese Boys, de José Cid (um hino à Rua da Oura), repetiu-se com Triceratops, uma banda japonesa à qual gosto de chamar, de vez em quando, heroína. Ouçam Bassel & The Supernaturals. Não porque seja diferente de Fernando Daniel. Porque é igual a quase tudo o que soa a partir de Chicago: bom. Muito, mas muito bom.

Simple Minds celebram 40 anos de carreira com colectânea

04 November, 2019
40: The Best Of – 1979-2919 apresenta o melhor do vasto catálogo dos Simple Minds. Um disco que faz uma retrospetiva dos 40 anos de uma das bandas mais bem-sucedidas do Reino Unido, desde a inovação de “Promised You A Miracle” e “Glittering Prize”, a hinos como “Waterfront” e “Sanctify Yourself”, passando por colossos como “Don’t You (Forget About Me)”, “Alive and Kicking”,

Never Boring, a edição especial de álbuns a solo de Freddie Mercury

Never Boring é o nome da colectânea que reúne pela primeira vez uma seleção de músicas, visuais e textos de Freddie Mercury. É uma coleção para despertar a memória dos fãs, antigos e novos, sobre o motivo pelo qual Freddie continua a ser uma figura amada, quase 30 anos após a sua morte. A caixa lembra-nos que o vocalista dos Queen era um cantor, compositor, intérprete e ser humano excecional, cuja magia está registada nesta coleção excecional do seu trabalho a solo.